sábado, 5 de julho de 2008

Assessoria mal feita impõe restrições

Antigamente qualquer um podia ser entrevistado depois das partidas. A imprensa tinha acesso livre. No entanto, para beneficiar alguns jogadores e tentar controlar o trabalho dos jornalistas, a assessoria estabeleceu que apenas o técnico e mais dois atletas podem falar. É por isso que o torcedor lê a mesma coisa em todos os lugares. Dessa vez os escolhidos foram Bruno e Cristian. O primeiro disse que o Flamengo está no caminho certo mas precisa manter os pés no chão para "não perder para nós mesmos. Já o segundo comemorou o fato de o time continuar na liderança. "Vamos trabalhar mais uma semana na frente", disse.
No vestiário, o advogado Michel Assef explicou que Marcinho emprestou o carro para um amigo, que bateu depois de sair de uma festa na Rocinha. "Marcinho estava em casa e soube do acidente pelos jornais", garantiu Assef, que dessa fez preferiu não transferir a responsabilidade ao filho.
A FlaPress não quer saber se o camarada de Marcinho que bateu com a BMW e atropelou um motoqueiro estava bêbado, tinha fumado ou cheirado, com disseram na Gávea. Contudo, lembra o velho ditado: "diga-me com quem tú andas, que eu direi quem tú és".

3 comentários:

pajé disse...

Conforme a FlaPress já antecipava alguns jogadores, empresários e a diretoria fazem de tudo para esconder os problemas do Flamengo. Apesar de estarmos em primeiro no brasileiro não podemos achar que a situação está folgada, pois qualquer vacilada pode virar uma tragédia na Gávea.

Fernando disse...

é isso ai Pajé!

Anônimo disse...

Conforme a FlaPress já antecipava, o Ibson fez corpo mole pra não completar os 7 jogos e poder se transferir pro São Paulo. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, comédia mesmo...

Zoando os chorões!

Loading...