sábado, 18 de julho de 2009

Ninguém tem medo do velho freguês

Em 1972 o Botafogo aplicou uma goealada histórica de 6 a 0. Nove anos mais tarde, no Carioca de 1981, depois de ser Campeão Brasileiro pela primeira vez, o Flamengo conseguiu dar o troco. Naquela partida, a torcida mostrou sua força e passou o intervalo inteiro gritando de pé: "Queremos 6!", "Queremos 6!". Era algo que estava engasgado.
Desde então, o Botafogo virou freguês e só conseguiu voltar a vencer algo expressivo no Carioca de 1989, com aquele gol roubado de Maurício. A resposta veio em grande estilo, no Brasileiro de 1992. Naquele ano o Botafogo liderou a competição inteira e era favorito, mas o Flamengo tinha o maestro Júnior, o último de sua geração.
Depois disso, o Flamengo passou dois anos em branco com Luiz Augusto Veloso e aí veio a "Era" Romário e os mais de cem jogadores contratados por Kléber Leite. Os empresários passaram a ditar regras e os jogadores começaram a querer privilégios. Os erros foram tantos que os Associados acreditaram numa rapousa pior ainda: Edmundo Silva.
Isso só aconteceu porque todo mundo achava que pior do que estava não poderia ficar. Só que depois de passada a catrástrofe Edmundo, o poder voltou para aqueles que transformaram a Gávea em balcão de negócios e o resultado é um clube cada vez mais desetruturado, incapaz de lutar por títulos de verdade e não apenas Estaduais.
Vencer o Botafogo nesse domingo é fácil, pois a história mostra que se trata de um freguês. Ninguém está preocupado com isso, muito menos os jogadores, que por se acharem profissionais agem de forma indiferente ou demonstram um falso amor. O difícil é convencer quem tem bom senso e tentar resgatar o prestígio e o respeito perdido.

2 comentários:

Pajé disse...

Que saudade !! Chego a ficar triste de ver esse timinho de hoje !!!

Anônimo disse...

O milkshake vai ter q rever seus calculos de novo....

Zoando os chorões!

Loading...