domingo, 10 de janeiro de 2010

Flamengo precisa deixar de ser Colônia

O Mais Querido do Mundo conseguiu resgatar o prestígio e o respeito em campo, com a ajuda da Nação e o empenho dos jogadores, mas fora dele continua explorado como se fosse colônia.
Patrícia Amorim estufou o peito para dizer que sua administração não tem compromisso com ninguém, mas a primeira coisa que fez foi anunciar a esposa do ex-presidente Luiz Augusto Veloso, Cristina Callou, como vice de esportes olímpicos.
O responsável pelas finanças é aquele que sempre foi unha e carne com Márcio Braga, passou cheques sem fundos e tem seu nome citado em escândalos como caso Ibson, Kleberson, Morro da Viúva, entre outros.
Quem acompanha a FlaPress sabe de quem se trata. Além da esposa de Veloso e do parceiro do Márcio, também estão de volta o empresário Léo Rabelo, com Helal e a turma de Edmundo Silva.
Enquanto isso, a imprensa pautada por empresários e dirigentes faz o seu papel fingindo que nada está acontecendo e tenta promover aspiras porque manter o clima agradável é fundamental, já que o jornalista guerrilheiro que tem compromisso com a notícia e tenta inovar não é bem visto pelos próprios colegas e pode até ser barrado dos treinos pela assessoria do clube.

3 comentários:

wellington disse...

brother c ta coberto de razao, jornalista tem q se orgulhar da sua profissao e nao ser pau mandado dos outros, nao conheco profundamente nossa historia (Brasil)sobre ditadura mas sei q muitos jornalistas honraram sua profissao nao deixando escondido a brutalidade, falcatruas e mentiras deste regime militar praticamente nazista. entao hj seria otimo se os jornalistas se unissem e e horrassem a profissao nao se vendendo a ideologia de emissoras de tv ,jornais,revistas e interesses de terceiros.

Anônimo disse...

wellington
Isso ai é praticamente impossível acontecer

Pajé disse...

Quem acompanha o trabalho da FlaPress sabe que tudo isso é verdade !!!

Zoando os chorões!

Loading...