domingo, 8 de fevereiro de 2009

Nota de esclarecimento

Do Presidente do Conselho Fiscal Clube de Regatas do Flamengo
Senhores associados e, em especial, Senhores membros do Conselho Deliberativo.
São necessários alguns esclarecimentos sobre os acontecimentos ocorridos na Reunião Extraordinária do Conselho de Administração do dia 2 de fevereiro de 2009, onde foi apresentado, pelo Presidente do Conselho Diretor, um “Pacote de Medidas da Crise” – (acesso franqueado junto a Secretaria do Conselho Fiscal).
Em regra, o Conselho Fiscal deveria emitir uma parecer prévio, fato que pela urgência não foi possível, ficando essa responsabilidade para o momento próprio em plenário.
Entre as várias medidas ali propostas, muitas inclusive inaplicáveis por total impedimento estatutário, como, por exemplo, a cobrança de taxa de manutenção ao associado da categoria proprietário, destacava-se a de autorizar a antecipação de recebíveis do ano de 2010 para pagamento de débitos de 2008 - salários de dezembro e décimo terceiro dos funcionários
Após caloroso debate foram apresentadas duas propostas:
Uma (1) do Presidente da Comissão de Finanças, autorizando a tomada de empréstimos até R$ 10.000.000,00, condicionada a uma nomeação de uma Comissão Interventora para gerir tais recursos (esta segunda parte foi uma emenda feita pelo Próprio Presidente do Conselho de Administração), e uma segunda (2), apresentada pelo Presidente do Conselho Fiscal , a qual estou remetendo, em apenso, para os senhores – anexo único.
Neste último caso, o Presidente do Conselho de Administração não levou para apreciação e votação a referida proposta, mesmo tendo ela seguido o rito formal dos artigos, 31 e 32 do Regimento Interno -RI-CAD, e por se tratar, inclusive, de uma proposta originária de um Presidente de Poder, ter ainda a proteção do § 1 do artigo 30 do mesmo diploma legal.
Ocorre que no mesmo ato da denegação, por parte do Presidente daquele Poder, o Presidente do Conselho Fiscal, agravou da decisão, que foi deferida de plano pelo Presidente do Conselho de Administração, ficando retida junto a ata final da reunião, para sua remessa, em grau recursal, ao Conselho Deliberativo, na forma do artigo 88, XVII, do Estatuto Social.
Cabe agora, senhores associados e conselheiros, uma mobilização de todo o quadro associativo no intuito de que seja CONVOCADO, o Egrégio Conselho Deliberativo para apreciar, julgar e votar a matéria, uma vez que a mesma é de altíssima relevância para o Clube de Regatas do Flamengo e, para isso, é importante a manifestação dos senhores, seja por e-mails endereçados a Secretaria dos Poderes, seja por carta, ou até mesmo por telefone.
Lembro ainda que as convocações dos Poderes não podem ser negadas pelos Presidentes dos Órgãos de Julgamento, porém, mesmo com essa imposição estatutária e sob o risco da perda do mandato, alguns Presidentes têm se negado a convocar seus Poderes, mesmo após vários requerimentos com relevantes justificativas, motivo pelo qual os Presidentes têm o dever de acatá-los.- artigo 79, II.
A Secretaria do Conselho Fiscal está orientada a dar todo o esclarecimento necessário aos associados, em especial aos membros do Conselho Deliberativo.
Por último reitero a importância da manifestação formal dos associados, pois está no contexto da matéria decisões que vão implicar no comprometimento patrimonial do Clube de Regatas do Flamengo.
Leonardo Ribeiro
Presidente do Conselho Fiscal

4 comentários:

Anônimo disse...

No anexo, logo abaixo, a íntegra do relatório onde é possível se ter uma ideia da real situação financeira do Flamengo. Vejam e julguem se forem capazes... CONCLUSÃO Em 2004, Flamengo tinha mais de 200 ações trabalhistas e cíveis em fase de execução. Embora a proposta orçamentária de 2004 indicasse contingências de 40 milhões de reais, chegamos à conclusão de que este número seria próximo de 100 milhões de reais, já que os valores que chegavam para o Flamengo pagar, eram muito maiores do que o que havia sido contabilizado. Apenas como exemplo, um simples funcionário que tinha direito a 15 mil reais, contabilizados, havia ganho na Justiça 80 mil reais. O atleta Lê, que tinha um salário de 20 mil reais e que, pela contabilidade do clube, fazia jus a pouco mais de 100 mil reais, ganhou, e recebeu quase 2 milhões de reais. O ideal seria que o Flamengo pudesse propor acordo de parcelamento destas dívidas, oferecendo garantias reais. Porém, para que isso pudesse ser feito, o clube teria que ter, pelo menos, talões de cheques e não tinha, o que somente foi possível após um trabalho brilhante feito pelos meus antecessores, Sebastião Pedrazzi e Luís Felipe Brandão. Depois que estes competentes e sérios dirigentes voluntários conseguiram ajudar a restabelecer a dignidade do clube, foi possível fazer acordos, oferecendo garantias e, com isso, o Flamengo está conseguindo honrar os compromissos com praticamente todos os ex-atletas e ex-funcionários. Certamente evitando assim,,um novo aumento do passivo trabalhista, enorme peso que herdamos. Em 2004, por conta de não ter as suas certidões, e em função de ter perdido o direito ao Refis, já que há anos não vinha pagando regularmente as parcelas, o Flamengo ficou 11 meses sem poder receber de seu patrocinador. Face a isso, o clube chegou a quase 5 meses de salários atrasados. Com isso, perdia credibilidade e corria também o risco de perder todos os seus atletas. Apesar de tudo isto, conseguimos resolver as pendências e jamais perdemos qualquer atleta que fosse por conta disto. Hoje, apesar de ainda ter muitas dificuldades, o quadro é totalmente diferente. Até porque, o Flamengo possui linhas de crédito de mais de 30 milhões de reais junto às instituições financeiras. É digno de nota que este valor, de crédito na praça, era apenas de 600 mil reais em 2002. Além disso, temos contratos que nos permitem antecipar recursos, caso exista a necessidade. As receitas antecipadas de 2009 correspondem a algo entre 15% e 20% das receitas projetadas. Em contra partida, todas as futuras já haviam sido antecipadas em 2002, quando assumiu o presidente Hélio Ferraz. A ressurreição do Flamengo neste período foi fruto da seriedade, competência e coragem de muitos voluntários que passaram pelo clube de 2002 até hoje. Além deste comprometimento de receitas, o Flamengo possui os 15%, relativos ao ato firmado junto ao TRT. Aliás, este ato também salvou o clube, tendo em vista, que com isto o Flamengo pagou praticamente todas as suas ações trabalhistas que estavam ou entraram em fase de execução. Mais de 500 ex-funcionários receberam, incluindo aí uma centena de atletas, treinadores, membros de comissão técnica etc.. Dr. Marcelo Antero e Dr. José Saba foram importantíssimos neste processo e o Flamengo teve o mérito de ser o único clube, entre os grandes do Rio de Janeiro, que conseguiu se manter no ato e honrar os seus compromissos. Hoje, estas dívidas são pagas de forma quase que imediata. Restam, neste momento, algo em torno de 10 pendências, apenas. Preocupante são algumas ações cíveis e que, no meu entendimento, o Flamengo deveria priorizar o acordo. Refiro-me especialmente aos casos Consórcio Plaza, Segil, PSP, Pet e Atlético de Madrid (neste caso, já foi feito o acordo e o clube está pagando). São praticamente 50 milhões de reais, que deveriam ser negociados, para que houvesse um parcelamento longo, assim como foi feito no caso do Romário, a quem o clube foi obrigado a pagar uma fortuna por vaidade de alguns dirigentes à época. O Flamengo não permite vaidades e a sua torcida não merece! Hoje, estas ações mencionadas já representam penhoras de quase 40% das receitas do clube. Não existe milagre neste caso e se estas questões não forem resolvidas, o clube passa a correr vários riscos e ninguém irá resistir por muito tempo! No caso das certidões, o Flamengo conseguiu através da Timemania (em um trabalho incansável e elogiável do Presidente Márcio Braga) todas as suas certidões. Apesar das grandes dificuldades, a nossa principal missão é manter isto. Mas para tanto, reitero, o clube tem que ter condições, tranquilidade e autorização dos poderes para poder ter acesso às receitas orçadas. Fica muito difícil trabalhar com um orçamento de 100 milhões de reais, mas somente poder fazer a gestão de 60 milhões de reais, em função das "surpresas" que o grande passivo do clube nos apresenta no dia-a-dia. Fica claro que a situação financeira do clube melhorou, reiterando que ainda há muitas dificuldades. Em 2002, para cada R$ 1,00 a pagar, o clube tinha pelo orçamento pouco mais de R$ 0,20 a receber. Hoje, o clube tem orçado R$ 0,40 a receber para cada R$ 1,00 a pagar. Melhorou, sim, mas ainda está muito longe do ideal. Em janeiro de 2003, o Flamengo tinha compromissos acumulados para pagamento a médio prazo de algo em torno de 120 milhões de reais. Estes valores, somados aos compromissos orçamentários para aquele ano, que eram de 59 milhões de reais, perfaziam um total de 179 milhões de reais, para uma receita para aquele ano de algo e torno de 53 milhões de reais. Ou seja, o clube iria receber R$ 0,30 em 2003 para cada R$ 1,00 que tinha de obrigação de pagamento. Já em 2009, o Flamengo tem compromissos acumulados para pagamento a médio prazo de algo em torno de 48 milhões de reais. Estes valores, somados aos compromissos orçamentários para este ano, que são de aproximadamente 120 milhões de reais, perfazem um total de 168 milhões de reais. Considerando que o orçamento será aprovado projetando receitas de 140 milhões de reais, por exemplo, observamos que hoje o clube receberá R$ 0,83 para cada R$ 1,00 que terá que pagar. Porém, este raciocínio somente será válido se todas as receitas importantes orçadas se realizarem, conforme compromisso orçamentário. Refiro-me principalmente aos contratos com o fornecedor de material esportivo e patrocinador de camisa, receitas de bilheteria e venda de direitos econômicos. A somatória destes valores deverá chegar a aproximadamente 90 milhões, conforme orçado inicialmente. Se isto não ocorrer, certamente todo o quadro mudará. Mesmo ocorrendo, será necessária solicitação do conselho diretor e a autorização dos poderes competentes do clube, para que seja possível antecipar 28 milhões de reais de receitas futuras para compor o fluxo de caixa. Na realidade, todos sabemos que esta necessidade existe somente por conta do passivo acumulado ao longo dos anos. Se possível fosse considerar apenas de 2002 até hoje, o clube teria em caixa aproximadamente 50 milhões de reais, consequência da gestão dos presidentes Márcio Braga, Hélio Ferraz e as suas equipes. Trabalho conjunto, de fato! Por fim, quero reiterar o meu agradecimento a todos, desejando que o Flamengo possa se unir mais, distribuindo a competência e experiência de todos os conselheiros para que o Flamengo possa continuar se estruturando e, quem sabe, presentear a maior e melhor torcida do mundo com resultados esportivos compatíveis com a sua grandeza. Sinceramente, não consigo enxergar um Flamengo 100% unido, mas consigo sonhar com um Flamengo mais maduro e responsável, onde as pessoas possam ao menos se respeitar e, com isso, respeitar ao próprio Flamengo e a sua imensa nação. O meu muito obrigado, José Carlos Dias (ex-vice de finanças) http://extra.globo.com/servicos/links.asp?link=http://extra.globo.com/esporte/arquivos/relatorio_gestao.pdf

Anônimo disse...

me parece coverça para boi dormi, é melho ficar calado e deixa outros que não são incompetentes ver darem um a solução na m. que vcs arrumaram, faz a m e que ficar falando, passou 5 anos contando história e ainda acha que alguem vai acreditar nessa convercinha, os numeros das dividas estão ai. Esse cara é mais doido do que eu imaginava e doido que acredita em fadas ou acha que só tem burro na torcida, fica calado e vai torcer para o vasco que é melhor.para não falar outras coisasOBS: POR SINAL ONDE ESTA OS 100 MIL EUROS QUE SUMIRAM?VC DEVE SABER OU PERDEU MESMO, AFINAL O CLUBE TÁ COM MUITO E O VP DE FINAÇAS PODE PERDER 100 MIL, TÁ DE SACANAGEM?

Anônimo disse...

Não conheço esse vice de finanças mas dizem que é um cara serio, fala o que pensa, pior é quem fica calado. E esse cara do cometario acima, será que é socio do clube ou mama também pela organizada? Eis a questão.

Anônimo disse...

Vou responder sua questão, bobão, sou sócio a 22 anos , pago ingresso, não gosto de torcida organizada, assino a flatv, etc.Agora vc deve ser da parte podre dessa diretoria, que tem gente boa, mais que tem vergonha de vim aqui defender certas coisas.Agora com vc gosta de 'questões", vamos la; ONDE ESTA OS 100 MIL EUROS, E NÃO VALE JOGAR CONVERSA FORA, ONDE FOI, PARA QUEM FOI O DINDIM, RESPONDE OU FIQUE CALADO.

Zoando os chorões!

Loading...