quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Flamengo está caindo aos pedaços

O e-mail abaixo é mais um daqueles que circulam entre Associados e Conselheiros na Gávea e incomodam a atual diretoria.

A FlaPress reitera que não pertence a nenhum desses grupos políticos que estão lutando pelo poder.

Nosso objetivo é apenas mostrar o que de fato acontece e a imprensa pautada por empresários e dirigentes não mostra.

CARTA AO CONSELHO E ASSOCIADOS

O Flamengo quebrou

Esta é uma lamentável verdade cujos avisos foram inumeramente dados pelo Conselho Fiscal. Entretanto, a instituição Flamengo não irá acabar porque é muito maior do que esses atuais elementos que irresponsável e inconsequentemente levaram o Clube a este estado de ruína.

Se tivessem um resto de dignidade deveriam pedir desculpas e sair para nunca mais voltarem.

A reunião extraordinária do Conselho de Administração retratou com fidelidade o atual quadro de descontrole e de incompetência dos homens que pensam que administram o Flamengo.

Para esta reunião foi elaborado um minucioso trabalho assinado pelo Presidente Marcio Braga e pelo atual VP de Finanças, Dr. Sebastião Pedrazzi e seu diretor Luiz Felipe Brandão. Ali, demonstraram que, se realmente acontecer, o Flamengo terá uma receita de R$95 milhões contra despesas imediatas por efeito de penhoras, acordos judiciais e descontos irrecorríveis no total de R$82 milhões, restando, assim, um saldo positivo de R$13 milhões.

Ocorre que, segundo os mesmos Senhores o Flamengo terá uma despesa para o ano de 2009 de R$87 milhões o que deixará a situação financeira do Clube com um buraco de R$75 milhões. O atual nível de insolvência do Clube mostra que temos R$0,12 para cada R$1,00 que devemos.

Na mesma reunião, o Presidente Marcio Braga apresenta um relatório encaminhado pelo ex gênio das finanças do Clube, o Sr. José Carlos Dias que afirma textualmente o superávit do Flamengo em R$50 milhões, que a receita projetada para 2009 é de R$140 milhões e que o nível de insolvência do Clube não é tão ruim pois, temos tem R$0,83 para cada R$1,00 que devemos. Das duas uma: ou pensam que os Conselheiros são idiotas ou alguém está mentindo.

Entretanto, o que permaneceu claro na reunião foi o nível de irrealidade que vive o Presidente. Como pode ser avalista de dois estudos completamente distintos?

O destaque ficou por conta do Presidente do Conselho Fiscal, Dr. Leonardo Ribeiro, que com galhardia enfrentou o Presidente comprovando todas as falácias e inverdades já denunciadas pelo Conselho Fiscal.

Sua ação se destacou pela coerência e coragem em mostrar os argumentos provados e comprovados aos Conselheiros presentes colocando o Presidente no seu devido lugar.

Os Conselheiros aprovaram a criação de uma Comissão Especial para ministrar a antecipação de R$10 milhões presidida pelo ícone da moralidade, o Grande Benemérito Dr. Roberto Abranches, seguido pelo ilustríssimo Benemérito Gilbert Prates e o Sr. Vinicius França.

E, como se encontra o Flamengo?

a) A Gávea não é patrimônio do Flamengo. É uma concessão de uso do Estado para fins de prática social e esportiva;

b) O Morro da Viúva, de propriedade do Flamengo, está submerso num volume de dívidas de IPTU em dezenas de milhões de reais;

c) O Centro de Treinamento, de propriedade do Flamengo, está penhorado resultado de uma briga judicial com o Consórcio Flamengo Plaza provocada pela irresponsabilidade administrativa de alguns que ainda andam por aí;

d) Por declaração do Vice Geral do Clube no período 2004/2008 (60 meses) o Flamengo arrecadou R$400 milhões de reais e quitou R$50 milhões em dívidas de curto prazo. Como realinhou R$200 milhões em dívidas para pagamento a longo prazo (Timemania) o que fizeram com os demais R$350 milhões?

O Flamengo não pode mais se dar ao luxo de ser administrado por ETs ou por pessoas que faltam com a verdade. A palavra de ordem é RECONSTRUÇÃO. É necessária a união de todos os homens de bem que desejam a recuperação da imagem, da glória,

SRN
Augusto Cesar Sansão

3 comentários:

Anônimo disse...

No anexo, logo abaixo, a íntegra do relatório onde é possível se ter uma ideia da real situação financeira do Flamengo. Vejam e julguem se forem capazes... CONCLUSÃO Em 2004, Flamengo tinha mais de 200 ações trabalhistas e cíveis em fase de execução. Embora a proposta orçamentária de 2004 indicasse contingências de 40 milhões de reais, chegamos à conclusão de que este número seria próximo de 100 milhões de reais, já que os valores que chegavam para o Flamengo pagar, eram muito maiores do que o que havia sido contabilizado. Apenas como exemplo, um simples funcionário que tinha direito a 15 mil reais, contabilizados, havia ganho na Justiça 80 mil reais. O atleta Lê, que tinha um salário de 20 mil reais e que, pela contabilidade do clube, fazia jus a pouco mais de 100 mil reais, ganhou, e recebeu quase 2 milhões de reais. O ideal seria que o Flamengo pudesse propor acordo de parcelamento destas dívidas, oferecendo garantias reais. Porém, para que isso pudesse ser feito, o clube teria que ter, pelo menos, talões de cheques e não tinha, o que somente foi possível após um trabalho brilhante feito pelos meus antecessores, Sebastião Pedrazzi e Luís Felipe Brandão. Depois que estes competentes e sérios dirigentes voluntários conseguiram ajudar a restabelecer a dignidade do clube, foi possível fazer acordos, oferecendo garantias e, com isso, o Flamengo está conseguindo honrar os compromissos com praticamente todos os ex-atletas e ex-funcionários. Certamente evitando assim,,um novo aumento do passivo trabalhista, enorme peso que herdamos. Em 2004, por conta de não ter as suas certidões, e em função de ter perdido o direito ao Refis, já que há anos não vinha pagando regularmente as parcelas, o Flamengo ficou 11 meses sem poder receber de seu patrocinador. Face a isso, o clube chegou a quase 5 meses de salários atrasados. Com isso, perdia credibilidade e corria também o risco de perder todos os seus atletas. Apesar de tudo isto, conseguimos resolver as pendências e jamais perdemos qualquer atleta que fosse por conta disto. Hoje, apesar de ainda ter muitas dificuldades, o quadro é totalmente diferente. Até porque, o Flamengo possui linhas de crédito de mais de 30 milhões de reais junto às instituições financeiras. É digno de nota que este valor, de crédito na praça, era apenas de 600 mil reais em 2002. Além disso, temos contratos que nos permitem antecipar recursos, caso exista a necessidade. As receitas antecipadas de 2009 correspondem a algo entre 15% e 20% das receitas projetadas. Em contra partida, todas as futuras já haviam sido antecipadas em 2002, quando assumiu o presidente Hélio Ferraz. A ressurreição do Flamengo neste período foi fruto da seriedade, competência e coragem de muitos voluntários que passaram pelo clube de 2002 até hoje. Além deste comprometimento de receitas, o Flamengo possui os 15%, relativos ao ato firmado junto ao TRT. Aliás, este ato também salvou o clube, tendo em vista, que com isto o Flamengo pagou praticamente todas as suas ações trabalhistas que estavam ou entraram em fase de execução. Mais de 500 ex-funcionários receberam, incluindo aí uma centena de atletas, treinadores, membros de comissão técnica etc.. Dr. Marcelo Antero e Dr. José Saba foram importantíssimos neste processo e o Flamengo teve o mérito de ser o único clube, entre os grandes do Rio de Janeiro, que conseguiu se manter no ato e honrar os seus compromissos. Hoje, estas dívidas são pagas de forma quase que imediata. Restam, neste momento, algo em torno de 10 pendências, apenas. Preocupante são algumas ações cíveis e que, no meu entendimento, o Flamengo deveria priorizar o acordo. Refiro-me especialmente aos casos Consórcio Plaza, Segil, PSP, Pet e Atlético de Madrid (neste caso, já foi feito o acordo e o clube está pagando). São praticamente 50 milhões de reais, que deveriam ser negociados, para que houvesse um parcelamento longo, assim como foi feito no caso do Romário, a quem o clube foi obrigado a pagar uma fortuna por vaidade de alguns dirigentes à época. O Flamengo não permite vaidades e a sua torcida não merece! Hoje, estas ações mencionadas já representam penhoras de quase 40% das receitas do clube. Não existe milagre neste caso e se estas questões não forem resolvidas, o clube passa a correr vários riscos e ninguém irá resistir por muito tempo! No caso das certidões, o Flamengo conseguiu através da Timemania (em um trabalho incansável e elogiável do Presidente Márcio Braga) todas as suas certidões. Apesar das grandes dificuldades, a nossa principal missão é manter isto. Mas para tanto, reitero, o clube tem que ter condições, tranquilidade e autorização dos poderes para poder ter acesso às receitas orçadas. Fica muito difícil trabalhar com um orçamento de 100 milhões de reais, mas somente poder fazer a gestão de 60 milhões de reais, em função das "surpresas" que o grande passivo do clube nos apresenta no dia-a-dia. Fica claro que a situação financeira do clube melhorou, reiterando que ainda há muitas dificuldades. Em 2002, para cada R$ 1,00 a pagar, o clube tinha pelo orçamento pouco mais de R$ 0,20 a receber. Hoje, o clube tem orçado R$ 0,40 a receber para cada R$ 1,00 a pagar. Melhorou, sim, mas ainda está muito longe do ideal. Em janeiro de 2003, o Flamengo tinha compromissos acumulados para pagamento a médio prazo de algo em torno de 120 milhões de reais. Estes valores, somados aos compromissos orçamentários para aquele ano, que eram de 59 milhões de reais, perfaziam um total de 179 milhões de reais, para uma receita para aquele ano de algo e torno de 53 milhões de reais. Ou seja, o clube iria receber R$ 0,30 em 2003 para cada R$ 1,00 que tinha de obrigação de pagamento. Já em 2009, o Flamengo tem compromissos acumulados para pagamento a médio prazo de algo em torno de 48 milhões de reais. Estes valores, somados aos compromissos orçamentários para este ano, que são de aproximadamente 120 milhões de reais, perfazem um total de 168 milhões de reais. Considerando que o orçamento será aprovado projetando receitas de 140 milhões de reais, por exemplo, observamos que hoje o clube receberá R$ 0,83 para cada R$ 1,00 que terá que pagar. Porém, este raciocínio somente será válido se todas as receitas importantes orçadas se realizarem, conforme compromisso orçamentário. Refiro-me principalmente aos contratos com o fornecedor de material esportivo e patrocinador de camisa, receitas de bilheteria e venda de direitos econômicos. A somatória destes valores deverá chegar a aproximadamente 90 milhões, conforme orçado inicialmente. Se isto não ocorrer, certamente todo o quadro mudará. Mesmo ocorrendo, será necessária solicitação do conselho diretor e a autorização dos poderes competentes do clube, para que seja possível antecipar 28 milhões de reais de receitas futuras para compor o fluxo de caixa. Na realidade, todos sabemos que esta necessidade existe somente por conta do passivo acumulado ao longo dos anos. Se possível fosse considerar apenas de 2002 até hoje, o clube teria em caixa aproximadamente 50 milhões de reais, consequência da gestão dos presidentes Márcio Braga, Hélio Ferraz e as suas equipes. Trabalho conjunto, de fato! Por fim, quero reiterar o meu agradecimento a todos, desejando que o Flamengo possa se unir mais, distribuindo a competência e experiência de todos os conselheiros para que o Flamengo possa continuar se estruturando e, quem sabe, presentear a maior e melhor torcida do mundo com resultados esportivos compatíveis com a sua grandeza. Sinceramente, não consigo enxergar um Flamengo 100% unido, mas consigo sonhar com um Flamengo mais maduro e responsável, onde as pessoas possam ao menos se respeitar e, com isso, respeitar ao próprio Flamengo e a sua imensa nação. O meu muito obrigado, José Carlos Dias (ex-vice de finanças) http://extra.globo.com/servicos/links.asp?link=http://extra.globo.com/esporte/arquivos/relatorio_gestao.pdf

Raphael disse...

O texto ficou até bonito, mas José Carlos Dias, o senhor esqueceu de mencionar a revitalização da Gávea (cadê!?), os casos Ibson, Kleberson, Morro da Viuva, entre muitos outros, o CT incompleto, o tal estádio que até hoje o Flamengo não tem e está longe de ter, e talvez o mais importante, esqueceu da promessa que o nosso querido Sr. Márcio Baroukel de Souza Braga fez quando foi eleito, que em 2009 o Flamengo seria um dos 10 maiores clubes do mundo.

Entre muitas outras coisas, também posso citar o estado atual dos esportes olímpicos, na qual demonstra clara incopetencia, onde nossos queridos dirigentes não conseguem patrocinio pra manter tal esportes como futsal, entre outros. Uma clara incopetencia do nosso marketing, que não consegue buscar patrocínios, e assim o Flamengo acaba se resumindo a futebol e basquete.

O Flamengo é muito mais que isso, e espero que no fim de 2009 as coisas mudem e a partir de 2010, começando do 0, o Flamengo volte gradativamente a ser o que sempre foi.

Anônimo disse...

vc que critica tanto, e pelo jeito deve ser magico, va lá e faça melhor, ou será que só sabe citicar os que trabalham, vamos quero ver um corajoso parar de ficar só de bla´..bla´...blá e realmente tirar o flamengo dessa, o resto sim é conversa pra boi dormir....

Zoando os chorões!

Loading...